quarta-feira, 23 de maio de 2012

ÁRVORES DO BAIRRO INDEPENDÊNCIA SERÃO IDENTIFICADAS


A parceria para a identificação das árvores da Praça Júlio de Castilhos e da Rua Gonçalo de Carvalho ganhou forças. No  dia 12 de maio, representantes da SMAM (Secretaria Municipal do Meio Ambiente) e da AMABI (Associação de Moradores e Amigos do Bairro Independência) circularam pela praça e percorreram toda a rua analisando e discutindo os próximos passos do projeto. A ideia é identificar as árvores da região dando início a um processo de maior utilização e melhor aproveitamento dos locais. Propostas como feiras de artesanato ou rodas de chimarrão na Praça Júlio de Castilhos e uma integração das escolas com a praça foram levantadas.

Em Porto Alegre são encontradas, segundo a SMAM, 173 espécies arbóreas. Somente na Rua Gonçalo de Carvalho existem mais de 100 árvores, sendo predominante a espécie Tipuana, uma das 10 mais comuns na capital (a de maior incidência é o ligustro). Já na Praça Júlio de Castilhos, estima-se que haja por volta de 10 espécies diferentes. A identificação delas se dará de forma detalhada: além do nome popular e científico, a área de origem também estará explicitada nas placas, possibilitando a distinção entre espécies nativas e exóticas.
                A arborização de vias públicas na cidade se iniciou na metade do século passado, tendo se intensificado a partir da década de 1930. Bairros antigos são identificados pelo predomínio de uma espécie arbórea. O ligustro, por exemplo, é muito comum no Centro Histórico e na Cidade Baixa, o jacarandá , por sua vez predomina no Bom Fim, Floresta e Rio Branco. Cinamomo é típico de Petrópolis, Mont Serrat e Higienópolis, perna-de-moça do Moinhos de Vento e plátano do Boa Vista. As árvores, portanto, são características marcantes na paisagem dos bairros, sendo importante para a preservação da cultura e da história da cidade o processo de identificação.

                Além de identificar as árvores da região, a SMAM e a AMABI planejam um melhor ajardinamento nos canteiros da Gonçalo de Carvalho. Será estudada a possibilidade de colocação de flores por toda a via. A necessidade de se podar uma árvore em frente à entrada do Shopping Total também foi salientada na reunião de 12 de maio. Queimado recentemente, o tronco da árvore está visivelmente prejudicado e pode não sustentar o peso da copa.

A previsão é de que no dia 5 de junho, Dia do Meio Ambiente, seja iniciado o processo de identificação das árvores da Praça Júlio de Castilhos. Não está descartada a possibilidade de o projeto ser ampliado também para a Praça Dom Sebastião, em frente ao Colégio Rosário.

Um comentário:

  1. Gostaria de saber se existe algum carvalho em Porto Alegre!

    ResponderExcluir